Menina com tédio

Tédio: como combater e evitar a insônia

Desde o início da crise do coronavírus no Brasil, em março, e instauração do isolamento social, encaramos um novo problema: o tédio. Mas o que podemos fazer para acabar com o tédio?

Começamos maratonando aquelas séries que nunca tivemos tempo de terminar. Depois, ver filmes e livros que abandonamos.

Com o tempo, a novidade acaba e o tédio começa a bater na porta. Todos sentimos isso.

A impossibilidade de sair de casa para eventos sociais e lugares, e a falta de interação social nos fazem encarar a solidão com outros olhos.

Através deste artigo, vamos elucidar alguns fatores que mostram que a relação do tédio com a insônia é ambígua.

Mostraremos argumentos que provam que ele pode ser um grande inimigo, mas também um grande aliado.

Já pensou? O tédio pode sim ser seu aliado!

Neste post, também vamos ensinar uma solução rápida de como acabar com o tédio: o Método dos 5 Minutos.

Mas antes, precisamos estabelecer alguns conceitos.

Menina com tédio

Afinal, o que é o tédio?

Ao contrário do que muitos pensam, o tédio não é a “falta do que fazer” – sendo esta definição mais próxima do ócio, seu parente próximo.

O tédio é a sensação de insatisfação ou falta de interesse em uma atividade.

É como se seu cérebro estivesse cheio de energia, pedindo para trabalhar, mas não encontra estímulos ao redor.

É possível se sentir entediado até quando se tem muito o que fazer. Na escola, ou no trabalho por exemplo.

Você encara o vazio por vários minutos, enquanto seu e-mail está pegando fogo.

E seu chefe espera aquele relatório até às cinco, sem falta. Mas olhar para aquelas planilhas é tão chato…

Entediado no trabalho
Mas essas planilhas são tão chatas, Magalhães…

O que causa o tédio?

Este artigo da Psychology Today descreve alguns dos efeitos do tédio no cérebro humano.

Basicamente, a sensação de tédio vem da falta de entusiasmo em relação às situações do dia-a-dia.

O artigo ainda relata que a falta de controle sobre uma situação tende a nos causar tédio.

Faz muito sentido. Afinal, quem nunca morreu de tédio em salas de espera ou longas aulas?

A falta de imersão ou novidade também é uma das causas da sensação de tédio.

Situações cansativas ou repetitivas, ou que causam algum tipo de fadiga mental, agem como gatilhos para desencadear o tédio.

Quais os efeitos do tédio?

O principal efeito é a falta de atenção: pessoas entediadas se distraem com mais facilidade, ou falham em prestar atenção na atividade que estão executando.

O artigo também indica que o tédio tende a te induzir a desgostar profundamente de coisas que te levam ao tédio.

Até o que geralmente é prazeroso se torna maçante.

Por exemplo: um dos meus hobbies é jogar videogame. Mas quando o tédio bate, mesmo meu jogo favorito se torna chato, maçante.

E aí, lá se vai minha experiência…

Ah, Stranger Things ficou tão chato…

O mesmo se dá com filmes, livros, programas de televisão.

A longo prazo, o tédio pode levar a uma sensação de fadiga mental. É como se nos sentíssemos cansados antes mesmo de começar uma atividade.

O tédio também pode levar à sensação de ansiedade. De forma indireta, o tédio causa insônia – e acabar com o tédio é prioridade para termos uma boa noite de sono.

Mas nem tudo são más notícias. Vamos falar de coisa boa.

Como acabar com o tédio?

Agora que chegamos até aqui, vamos mostrar algumas formas de combater o tédio.

Já adianto: a pior forma de combater o tédio é usando mídias sociais em excesso.

Acessar mídias sociais como Instagram e Facebook, onde todos só postam coisas positivas, nos fazem comparar nossas vidas em relação às outras pessoas.

A comparação que fazemos (mesmo que de forma inconsciente) nos causa uma sensação muito ruim, transformando o tédio em ansiedade e depressão.

Então, o melhor a fazer é tornar o tédio seu aliado.

Sim, seu aliado.

No trabalho, dê aquela olhada na lista de pendências procurando pelas coisas mais antigas. Com certeza haverá algo a ser feito.

Se não, dê uma volta e tome um café. Respirar ares diferentes já ajudará a quebrar a rotina.

No caminho, busque conversar com pessoas diferentes, puxando assuntos variados. É uma boa hora para fazer networking.

Em casa, procure atividades que você não está acostumado a fazer, mas precisam ser feitas. Organizar e limpar coisas que estão ao seu redor, por exemplo.

Comece pela gaveta de roupas, por exemplo. Depois, aquela famosa gaveta da bagunça, que todo mundo tem

Aproveite para separar o que não precisa. Porque não doar alguns itens?

Você precisa MESMO guardar aquela caneta de brinde, daquele evento que nem lembra o nome?

Na internet, procure por novos sites interessantes. Assim você estimula seu cérebro com novos conhecimentos, ou adquire novas habilidades.

Novas experiências fazem o cérebro criar novas ligações, ou sinapses, que causam uma ótima sensação de satisfação.

Agora, vou ensinar o pulo do gato.

Como fazer do tédio seu aliado

Transforme esta sensação em uma força motriz, algo que te empurre adiante.

Mas acabar com o tédio de uma hora pra outra não é fácil.

A resposta rápida é: arrume coisas para fazer! Como dissemos, a falta de interesse não significa que não há nada pra ser feito.

Sempre há algo ao seu redor que pode ser mudado ou melhorado. A questão é mudar de perspectiva. Vamos ensinar um método simples, mas muito eficaz no combate ao tédio.

Eu o chamo de “Método dos 5 minutos”.

 

O Método dos 5 minutos

Pense o seguinte: o que há ao meu redor que pode ser melhorado nos próximos 5 minutos?

Ao sentir tédio, dê uma boa olhada ao seu redor. Repare em cada problema ou defeito que sempre pega sua atenção, mas você pensa “outra hora eu arrumo”.

Pode ser arrumar aquela maldita gaveta, organizar os livros da estante, ou corrigir aquele quadro que sempre está torto.

Não escolha tarefas complexas. Você não reforma um sofá ou lava o carro em 5 minutos.

Pense em atividades pequenas, que poderão ser concluídas de forma satisfatória em um curto período de tempo.

Enquanto escrevia este texto, vi que os cabos do meu roteador estavam uma bagunça. Meu TOC estava me deixando maluco.

Não estava assim, mas quase.

Resolvi parar e cronometrar quanto tempo levaria para organizar de forma a não me causar mais cegueira e ódio.

Foram 4 minutos e 38 segundos.

Neste tempo eu poderia ter visto alguns stories de Instagram, alguns memes no Facebook ou um vídeo no Youtube (que geralmente leva a outro, e outro…)

Ao invés disso, consertei um problema que me incomodava a semanas.

E a sensação de “missão cumprida” é ótima. Tanto que eu já quero arrumar mais coisas.

Sim, estou olhando pra vocês, quadros tortos do corredor.

Como tudo na vida, este método requer disciplina – e disciplina é você fazer o que precisa ser feito, mesmo não querendo.

Seria mais fácil procrastinar, mas optei por fazer diferente.

Transformei um momento de tédio em um momento de melhoria pessoal.

Em menos de cinco minutos, fiz do tédio meu aliado.

Espero que estas dicas sirvam para você leitor, e espero compartilhas mais experiências pessoais para ajudar no combate à insônia.

Se tiver mais dicas, deixem aí nos comentários! Compartilhem conosco!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *