Não perca nenhuma novidade, cadastre-se em nosso blog !
Assinar agora
Não perca nenhuma novidade, cadastre-se em nosso blog !
Assinar agora

Este artigo faz parte de uma sequência que apresenta “as causas e as consequências de uma noite mal dormida”. Vamos falar sobre as causas ambientais de uma noite mal dormida.

Antes de mais nada, recomendo que você leia os demais artigos desta série, onde explico as consequências de uma noite marcada pela falta de sono, tanto no aspecto físico quanto emocional.

É claro que até aqui ficou claro que dormir mal pode causar efeitos negativos para a sua saúde ou para os relacionamentos interpessoais, certo? Pois bem, vamos falar agora sobre os fatores ambientais que podem influenciar para se ter uma noite mal dormida.

Causas de uma noite mal dormida

Primeiramente, você precisa saber que existem 4 temáticas que podem ser responsáveis pela falta de sono:

  1. Problemas hormonais
  2. Distúrbios mentais e emocionais
  3. Agitação mental resultante de estilo de vida
  4. Questões ambientais

Neste artigo vou apresentar este último, ou seja, as questões ambientais que resultam em uma noite mal dormida.

Claridade ou ambiente agitado

Escrevi um artigo apresentando 7 Dicas de como melhorar o sono,  e afirmei que os locais tranquilos, silenciosos e isentos de iluminação aceleram no corpo a produção da melatonina.

A Professora Ana Lucia Santana explica no site Info Escola que “A melatonina é sintetizada assim que se fecham os olhos (…) Isto porque a pineal tem participação ativa na estruturação cronológica dos ritmos biológicos, agindo como árbitro nas relações entre claro e escuro, atividade e repouso, sono e vigília, bem como na regulamentação endócrina do processo reprodutor e no equilíbrio do sistema imunológico”.

O que fazer para conseguir esse ambiente? Primeiramente desligue todos os aparelhos eletrônicos que podem iluminar, mesmo que minimamente, o seu quarto. Você vai dizer: Mas eu utilizo o meu celular como despertador. A solução é simples, vire a tela para baixo e desative as notificações.

Movimentação intensa ou ronco do parceiro

Dormir com alguém do lado pode se tornar um desafio quando essa pessoa se movimenta com frequência ou produz grandes vibrações e consequente ruído intenso.

No site do Doutor Drauzio Varella, na repartição sobre doenças e sintomas, há um artigo que explica que “O ronco é um ruído provocado por estreitamento ou obstrução nas vias respiratórias superiores durante o sono. Esse estreitamento dificulta a passagem do ar e provoca a vibração dessas estruturas”.

A orientação para quem se movimenta demais é a ingestão de suplemento de melatonina que vai equilibrar o sono NREM, responsável pela redução das atividades do corpo.

Quem ronca constantemente deve procurar um especialista que vai apresentar desde um diagnóstico simples de posição para dormir até o mais complexo, como apneia obstrutiva do sono ou estresse.

Outros fatores ambientais

Outras questões devem ser levadas em consideração, como por exemplo, para pais de bebês, o sono leve é uma resposta inteligente do organismo para manter um estado de alerta.

Uma sugestão é alternar o consumo de suplemento de melatonina para que em cada noite um possa ter um sono restaurador e outro permanecer em estado de alerta para garantir a segurança do bebê.

Também existe o caso de pessoas que dão a liberdade para animais de estimação, geralmente gato e cachorro, de subir ou descer da cama durante a noite. Mesmo que não se perceba, este hábito pode dificultar e evolução dos estágios da fase Nrem do sono.

Dispositivos eletrônicos, como o celular, podem atrapalhar o sono, assim como dormir com a TV ou aparelhos sonoros ligados.

Encare o sono como um momento de grande valor que deve ser respeitado. Garanta que o ambiente está adequado e então durma. Garanta um sono restaurador tanto no aspecto físico quanto no emocional.


Causas e consequências de uma noite mal dormida

As consequências de uma noite mal dormida

  1. Consequências  físicas
  2. Consequências emocionais

As causas de uma noite mal dormida

  1. Problemas ambientais
  2. Problemas hormonais

Por Rogério Nascimento

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here